Brasileiríssima documentário crítica do filme 2022 onde assistir elenco ficha técnica data de estreia lançamento

Foto: Reprodução

Documentário ‘Brasileiríssima’ mostra o impacto da telenovela na sociedade brasileira

Jhone Silva

|

9 de junho de 2022

Brasileiríssima não é apenas um documentário sobre a história das telenovelas brasileiras. Pelo contrário, o foco do longa dirigido por André Bushatsky é demonstrar a importância e o impacto que as telenovelas têm no cotidiano, bem como no desenvolvimento da sociedade brasileira.

Para isso, o longa alterna entre depoimentos de vários artistas e técnicos da produção novelesca brasileira. Com pessoas comuns, espectadores que foram, de alguma maneira, impactados pelas telenovelas. Há também a presença de alguns teóricos e acadêmicos, como filósofo Mário Sérgio Cortella, por exemplo, que contribuem e reforçam o argumento do documentário.

Leia também:

‘Orgulho e Sedução’ traz uma releitura queer do clássico de Jane Austen

‘Meu Psicólogo Imaginário’ aborda temas sensíveis de forma surpreendente

‘Até a Morte: Sobreviver É a Melhor Vingança’ discute relacionamentos abusivos

Impacto no cotidiano da população

O aspecto original do documentário Brasileiríssima foi essa busca em ouvir também as pessoas que estão do lado de fora da tela, sentadas em seus sofás. O primeiro desses depoimentos é de uma mulher da zona rural nordestina que teve uma infância muito pobre.

Sem televisão em casa, ela e seus irmãos iam para a casa de uma vizinha que tinha um pequeno aparelho em  preto e branco para assistir à novela “Pai Herói”. Mas faziam isso sempre com muito medo de serem pegos pelo pai, que era violento e batia neles constantemente. Entretanto, no dia em que aquele foi atrás de seus filhos, ao chegar no local, observou aquele pequeno aparelho luminoso que desconhecia. Em seguida, se emocionou com a história. De acordo com a entrevistada, aquela novela despertou o lado emocional de seu pai, que voltava todos os dias para acompanhar a trama.

Já no quinto depoimento, o documentário mostra como as novelas brasileiras cruzam fronteiras e oceanos. Dessa forma, as produções impactam pessoas de outros países. Uma jovem moçambicana, lésbica, conta que, ao assistir “Senhora do Destino”, deparou-se com um casal lésbico. Ela entendeu que no Brasil teria mais liberdade para se assumir e sem quem era do que em seus país. E assim ela veio ao nosso país. “Não que aqui não tenha preconceito”, ponderou, por fim.

Impacto social e político

Além disso, o filme Brasileiríssima afirma e prova, com trechos representativos de várias novelas, que estas produções servem como instrumento de transformação social e política. Segundo os artistas e pessoas do meio, as novelas mostram a nível nacional os anseios de certo grupo da sociedade, além de penetrar as conversas e o imaginário da população. E, através disso, temas como desarmamento, racismo, homofobia, misoginia, direitos trabalhistas etc, ganham projeção e força, fazendo até, leis serem aprovadas no Congresso Nacional.

A novela está morrendo?

Por fim, a discussão chega à grande questão: “A telenovela está morrendo?”. A resposta – claro – é não! Segundo eles, as telenovelas apenas precisam se reinventar, ocupar novos espaços, serem feitas em novos formatos.

Dessa forma, Brasileiríssima não apenas é um documentário interessante de se assistir, mas também um estudo da história e sociologia de nosso país. Por isso e alguns outros motivos, vale muito a pena assisti-lo.

Onde assistir ao documentário Brasileiríssima?

A saber, Brasileiríssima estreia nesta quinta-feira, 9 de junho de 2022, exclusivamente nos cinemas brasileiros.

Aliás, está de olho em algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Por fim, não deixe também de acompanhar o UltraCast, o podcast do ULTRAVERSO:

https://app.orelo.cc/uA26
https://spoti.fi/3t8giu7

Trailer do documentário Brasileiríssima

Ficha Técnica: documentário Brasileiríssima

Título original do filme: Brasileiríssima
Direção: André Bushatsky
Roteiro: Mauro Alencar, André Bushatsky, Gilberto Nunes e Marcus Aurelius Pimenta
Duração: 80 minutos
País: Brasil
Gênero: documentário
Ano: 2022
Classificação Indicativa: 12 anos

Jhone Silva

Um jovem paulistano que aproveita a boemia da maior cidade brasileira, embora prefira ficar trancado em seu quarto lendo, assistindo, escutando e jogando e fazendo arte. Mas sempre com uma qualidade duvidável, é claro.
4
Créditos Galáticos:

Créditos Galáticos: 4

Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme