Colisão crítica do filme Netflix 2022

Foto: Netflix / Divulgação

‘Colisão’ tem enredo clichê e desenvolvimento duvidoso

Taynna Gripp

|

21 de junho de 2022

Um típico longa de ação com enredo envolvendo sequestro, prostituição e corrupção, algo que, certamente, poderia ter Steven Seagal ou Liam Neeson como protagonistas. Assim é Colisão (Collision), estreia recente da Netflix, filme sul-africano que tem enredo clichê e desenvolvimento duvidoso.

Nicole é uma adolescente cuja vida perfeita não poderia ser melhor. Afinal, seus pais são ricos e ela está prestes a se mudar para os Estados Unidos para um intercâmbio. Embora pareça orbitar em um mundo perfeito, Nicks (muito mal interpretada por Zoey Sneedon) não tem o menor interesse em sair do país no momento. Isso porque a jovem mantém uma relação proibida pelos pais com o cantor periférico Cecil (Siphesihle Vazi), e nada a faria desistir desse romance.

Atrelado ao casal, tramas paralelas correm, como a do pai da adolescente, um homem envolvido com esquemas de corrupção dentro da sua empresa e diretamente ligado ao tráfico da região; assim como a da mãe que parece se importar mais com as aparências do que com a filha; a de jovens que vivem na periferia de Joanesburgo e estão em busca do seu lugar ao Sol; e a de Bra Sol (Vuyo Dabula), um traficante de renome que está diretamente ligado a todos os acontecimentos do filme.

Leia também:

Jornada de Jane Foster no UCM até ser A Poderosa Thor

‘Trem-Bala’: filme de ação de Brad Pitt ganha pôster

‘Agente Oculto’ estreia dia 22 de julho na Netflix

Tramas paralelas e confusas

Os enredos que poderiam enriquecer o filme, acabam deixando o desenrolar confuso. Temos de crítica social com refugiados nigerianos até aliciamento de menores para prostituição. Tudo salpicado como numa salada de frutas até saborosas, mas marcantes demais para não serem abordadas mais a fundo.

Com direção de Fabien Martorell, que também é assina o roteiro juntamente com Sean Cameron Michael e Siphosethu Tshapu, os 99 minutos de Colisão não têm nada de realmente cativante. Temos ali um ritmo bom que nos proporciona cenas de ação e violência. Mas nada mais do que isso em uma história que poderia ser mais bem executada.

Por fim, fica a sensação de que o cinema sul-africano tem muito a ser apresentado mesmo. Temas relevantes como a discriminação dentro do país; bem como a corrupção que ainda rege muito dos mercados; e a desigualdade gritante, por exemplo. Mas seus enredos podem ser melhores trabalhados.

Onde assistir ao filme Colisão?

A saber, Colisão já se encontra disponível para os assinantes da Netflix desde o dia 16 de junho.

Aliás, está de olho em algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Não deixe de acompanhar o UltraCast, o podcast do ULTRAVERSO:

https://app.orelo.cc/uA26

https://spoti.fi/3t8giu7

Trailer do filme Colisão, da Netflix

Colisão (Netflix): elenco do filme

Langley Kirkwood
Zoey Sneedon
Siphesihle Vazi

Ficha Técnica: Colisão, da Netflix

Título original do filme: Collision
Direção: Fabien Martorell
Roteiro: William Gillin, Fabien Martorell e Sean Cameron Michael
Duração: 99 minutos
País: África do Sul
Gênero: ação
Ano: 2022
Classificação: 16 anos

Taynna Gripp

2

Créditos Galáticos: 2

Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme