Como Pétalas que Caem crítica do filme onde assistir elenco Netflix

‘Como Pétalas que Caem’: prepare-se para chorar até secar

Bruno Oliveira

|

29 de março de 2022

O filme Como Pétalas que Caem (My Dearest, Like a Cherry Blossom) é o novo drama romântico japonês que estreou recentemente na Netflix. Chamá-lo de drama é suavizar muito o que acabei de ver. É possível classificá-lo facilmente como um dramalhão daqueles que vai fazer você chorar, por mais que você não queira. O longa também pode ser incluído no gênero romance, afinal, é um conto sobre um casal de jovens que se apaixona, mas que, por um revés do destino, acaba sendo a história de amor mais triste que você possa imaginar.

Em Como Pétalas que Caem, Haruto (Kento Nakajima) é um jovem aspirante a fotógrafo que se apaixona por uma jovem cabeleireira muito simpática e cheia de vida (Honoka Matsumoto). Os dois se aproximam e rapidamente começam uma linda história de amor que os faz querer viver o resto de suas vidas juntos. O problema é que a vida nem sempre é justa e uma rara doença pode atrapalhar os seus planos mais rápidos do que imaginaram.

O que é Síndrome de Werner?

Como Pétalas que Caem é mais um exemplo de filme que assisti sem saber do que se tratava e tomei um soco no estômago. Inicialmente, o julguei facilmente como uma comédia romântica comum, daquelas bem inocentes e ingênuas, a ponto de achar que iria ver algo completamente clichê pelas próximas duas horas de projeção. Quando menos esperei, vem o revés e devo dizer que não estava preparado para isso. A jovem protagonista é diagnosticada com a Síndrome de Werner. Não se preocupem, isso não é um spoiler, faz parte da sinopse.

Síndrome de Werner é um transtorno raro, hereditário e se caracteriza pelo envelhecimento prematuro da pessoa. De um modo bem chulo, posso resumir que a doença consiste em envelhecer uma pessoa de 25 anos, em um período de até um ano, a uma pessoa de 90 anos. Imagina as dores no corpo e como fica a cabeça de alguém que passa por essa condição? Esse é justamente o drama vivenciado aqui.

Como se trata também de uma história de amor, vemos as escolhas tomadas que certamente irão magoar um lado e que irão fazer o coração do outro adoecer aos poucos. A história ruma para um final bem triste e cruel, mas que ainda assim consegue nos prover uma esperança no futuro. Tem uma determinada cena, quase em seus momentos finais, que é de partir o coração. Julgo impossível não chorar junto e prefiro deixar o público preparado para um possível turbilhão emocional.

Conclusão

Como Pétalas que Caem é um filme para ser assistido com o coração bem leve e com a certeza de que vai ficar bem ao seu final. Achei um bom drama que começa de uma forma boba, mas que vai ganhando moldes dramáticos não imaginados. Não deixa de ser uma história bonita, mas que possui um alto índice de crueldade por parte da vida. Não é um longa-metragem fácil de ver, mas acredito que o espectador se sentirá gratificado no seu desfecho. É uma história sobre sofrimento, amor, luto e esperança.

Onde assistir ao filme Como Pétalas que Caem?

A saber, Como Pétalas que Caem já está disponível para os assinantes da Netflix desde o dia 24 de março. Aliás, vai comprar algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Por fim, não deixe também de acompanhar o UltraCast, o podcast do Ultraverso:

https://app.orelo.cc/uA26
https://spoti.fi/3t8giu7

Trailer do filme Como Pétalas que Caem, da Netflix

Como Pétalas que Caem (Netflix): elenco do filme

Kento Nakajima
Honoka Matsumoto
Kento Nagayama

Ficha Técnica

Título original do filme: My Dearest, Like a Cherry Blossom
Diretor: Yoshihiro Fukagawa
Roteiro: Keisuke Uyama e Tomoko Yoshida
Duração: 129 minutos
Páis: Japão
Gênero: drama e romance
Classificação: 16 anos

Bruno Oliveira

6
Créditos Galáticos

Créditos Galáticos: 6

Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme