Amor em Obras Netflix

FALLING INN LOVE

‘Amor em Obras’ (Netflix) | CRÍTICA

Jorge Feitosa

|

2 de setembro de 2019

Batendo fofo.

“Pule, e a rede aparecerá.”

Gabriela Díaz (Christina Milian) projeta casas sustentáveis para uma empresa em San Francisco. Frustrada pelo chefe e desenganada com o namorado, ela aposta em uma pousada na Nova Zelândia, onde conhece Jake (Adam Demos) e acaba descobrindo que o investimento de seus sonhos é uma cilada, mas também um grande amor.

Leia mais:

CRÍTICA | ‘A PEQUENA SUÍÇA’ (NETFLIX)
CRÍTICA | ‘SEIS VEZES CONFUSÃO’ (NETFLIX)
CRÍTICA | ‘MÃE E MUITO MAIS’ (NETFLIX)

Sem vergonha de ser feliz

Aliás, se você acha que já viu essa história antes, está certo. A saber, Amor em Obras (Falling Inn Love) vem trazer aquela velha comédia romântica de superação para a geração millenial. E o faz sem vergonha de ser feliz.

Desde o início, o filme de Roger Kumbel, com roteiro de Hilary Galanoy e Elizabeth Hackett, aborda de maneira até esperta como tudo hoje em dia pode acontecer de uma hora pra outra e como os relacionamentos estão profundamente marcados pelo consumismo e superficialidade. Esqueça o aviso prévio ou aquela conversa chata no RH, pois, em um belo dia, seu cartão de ponto nem passará mais na leitora. Seu namorado só estará empolgado enquanto tiver seu espaço e sua amiga vai acender vela na aula de meditação ao invés de rezar na igreja pelo seu sucesso.

Amor em Obras Netflix (2)

E, apesar dos clichês que se seguem no decorrer da narrativa, como aquela galera do bem para lhe apoiar, o bonitão pra lhe provocar e a perua para lhe atazanar, Amor em Obras tem aquela simpatia sempre bem vinda nesse tipo de produção. Além disso, a fotografia e as locações na Nova Zelândia dão aquele clima solar que faz acreditar que tudo vai dar certo usando a engenhosidade kiwi pra consertar.

Carisma da protagonista é o grande destaque

Mas dificilmente o filme daria certo não fosse pelo carisma de Christina Milian. Mesmo não tendo lá grande capacidade de improvisação, ela consegue carregar sua personagem tão bobinha que não percebe que o namorado de dois anos e meio pode não ser lá muito chegado e que se apavora com o bode Gilbert (as cabras Annabel e Mia, recebendo créditos no final). Verdade seja dita, a atriz é tão fofa que, quando está em cena com Demos e seu ar de meninão, parece até que um arco-íris vai surgir ao fundo.

Enfim, Amor em Obras é tão fácil de assistir que nem incomodam as situações já batidas que o roteiro vai empurrando. Afinal, que mal há em ver um casalzinho preparando a sua própria casa de bonecas?

::: TRAILER

::: FICHA TÉCNICA

Título original: Falling Inn Love
Direção: Roger Kumble
Roteiro: Elizabeth Hackett, Hilary Galanoy
Elenco: Christina Milian, Adam Demos, Jeffrey Bowyer-Chapman
Distribuição: Netflix
País: Estados Unidos
Gênero: comédia romântica
Ano de produção: 2019
Duração: 98 minutos
Classificação: 10 anos

Jorge Feitosa

@jorgefeitosalima
Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme