CRÍTICA | ‘Bumblebee’ é uma sessão da tarde nostálgica e divertida

CRÍTICA | ‘Bumblebee’ é uma sessão da tarde nostálgica e divertida

Depois de 10 anos do lançamento da franquia Transformers, saberemos mais um pouco sobre a história dos nossos amados robôs alienígenas. Bumblebee resgata bem a essência do primeiro filme, com mais história do que uma pancadaria generalizada de robôs, que, em alguns casos, nem sabíamos para onde olhar, como nas últimas produções. Com isso em mente, os espectadores vão para curtir um pouco das descobertas e encaixar algumas peças que faltam.

CRÍTICA | ‘Minha Vida em Marte’ só foi feito para aproveitar o sucesso do antecessor

Logo no começo, já mostram algumas cenas em Cybertron, na época que a guerra está a pleno vapor. Enquanto isso, na Terra, o ano é 1987, e Charlie Watson (Hailee Steinfeld) está prestes a completar 18 anos. E claro, ela está à procura de sua independência, tentando adquirir seu primeiro carro. Enquanto busca por peças para arrumar o veículo do pai, um pequeno acidente ocorre e a jovem encontra um fusca amarelo jogado em um ferro-velho. Dessa forma, começando uma nova fase em sua vida, mas a moça não faz ideia do que está fazendo ao levar esse carrinho velho para sua casa.

‘Pé Pequeno’ já está disponível para compra e aluguel digital

Com o passar do filme, Charlie, como uma adolescente rebelde, só quer atenção da família, porém, fica mais difícil pela perda recente do pai. Então, com seu mais novo amigo, ela começa a se soltar para a vida, tentando se enturmar e vendo que a vida não é só tristeza. Com isso, não faltam cenas da protagonista “curtindo” o Bumblebee, lembrando muito do nosso querido Herbie (Se Meu Fusca Falasse). Não sei se foi a intenção do diretor, mas não tem como passar despercebido. E existe até uma referência a “Star Wars”, para os mais atentos.

CRÍTICA #2 | ‘Roma’ (ou Amor), a nova obra-prima de Alfonso Cuarón

Foto: Paramount Pictures / Divulgação

Como Bumblebee se passa nos anos 80, o visual da época e a trilha sonora são um show à parte. O roteiro, em si, é bem fluido, focando mais na relação entre humanos e robôs do que na própria guerra em si, afinal, ela ainda não chegou à Terra. O final, no entanto, tem uma sequência que ficou desconexa da história dos Transformers, então, não sabemos se terá um reboot (o que seria muito legal), mas se não houver, os fãs vão exigir explicações para isso…

CRÍTICA | ‘WiFi Ralph: Quebrando a Internet’ explora de maneira muito divertida o universo digital

Outro detalhe diferente são as transformações, pois os Decepticons conseguem se transformar duas vezes em sequência: de carro se transformam em um helicóptero e depois em robôs. Isso não foi mostrado em nenhum filme anterior. Claro que nunca foi falado se realmente eles podem ter uma ou mais transformações, mas é algo interessante que nunca foi aproveitado nos outros longas da franquia, infelizmente.

CRÍTICA | ‘Creed II’ empolga nas lutas e atinge níveis mais profundos que seu antecessor

Enfim, Bumblebee é uma ótima sessão da tarde para toda a família. Para quem curte esse tipo de filme, vale muito a pena a ida ao cinema, já que será garantia de muitas risadas e descobertas.

::: TRAILER

::: FICHA TÉCNICA

Título original: Bumblebee
Direção: Travis Knight
Roteiro: Christina Hodson
Elenco: Hailee Steinfeld, Jorge Lendeborg Jr., John Cena
Distribuição: Paramount Pictures
Data de estreia: ter, 25/12/18
País: Estados Unidos
Gênero: ação
Ano de produção: 2018
Duração: 118 minutos
Classificação: 12 anos

TAGS
Compartilhe


Leia também