Ícone do site Ultraverso

Escola ZION aponta jogos como alternativa para jovens com transtornos psicológicos

Um estudo científico realizado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), divulgado em março deste ano, aponta que o diagnóstico de ansiedade e depressão aumentou em 25% no mundo desde o início da pandemia, sendo jovens e mulheres os mais afetados. Além disso, em outro estudo, divulgado pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), calcula-se que, globalmente, mais de um em cada sete jovens com idade entre 10 e 19 anos viva com algum transtorno mental diagnosticado.

Ademais, o mesmo estudo da OMS também aponta que transtornos mentais diagnosticados – incluindo transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), ansiedade, autismo, transtorno bipolar, transtorno de conduta, depressão, transtornos alimentares, deficiência intelectual e esquizofrenia – podem prejudicar significativamente a saúde e educação de crianças, adolescentes e jovens no futuro.

Uma alternativa para o bem-estar mental

Entretanto, neste período de pandemia, algo antes considerado improvável, tem surgido como alternativa para melhorar o bem-estar dos jovens: os games. Há muito tempo considerados prejudicais para a socialização e a saúde mental dos jovens, o “jogo” parece ter mudado de lado. Pois, uma pesquisa recente da Universidade de Oxford, aponta que jogar videogame pode ser benéfico para a saúde mental.

“Embora, o isolamento do jogador possa parecer apenas um escapismo, alguns estudos já surgem para mostrar como os games têm um papel muito importante na saúde mental das pessoas, desde o trabalho direto com a mente, reforçando a memória, até trabalhando diretamente em questões que envolvam foco e concentração”, explica Rogério Felix, diretor de formação e desenvolvimento de games da ZION.

Ao se denominar uma escola de entretenimento inclusiva, a ZION tem percebido que nos últimos dois anos, o número de alunos matriculados no curso de games, com algum tipo de transtorno tem aumentado. “Acreditamos que nossa metodologia seja didática para todos os tipos de alunos, com transtornos ou não”.

Sobre a ZION

Com mais de 10 mil  alunos formados desde 2015, a ZION conta com nove unidades próprias, nas cidades de Niterói, Alcântara. Duque de Caxias, Campo Grande, Madureira, Rio de Janeiro (Tijuca), Belo Horizonte, Contagem e São Paulo. A saber, com mais de 500 colaboradores, o Grupo ZION conta com 12 marcas, como a Creative Week, ZLabs, ZGames, Overloader, entre outras.

Aliás, vai comprar algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Por fim, não deixe também de acompanhar o UltraCast, o podcast do Ultraverso:

https://app.orelo.cc/uA26
https://spoti.fi/3t8giu7

Sair da versão mobile