Trocando as Bolas é a comédia perfeita para o Natal

Trocando as Bolas é a comédia perfeita para o Natal

Em um ano tão complicado como este, nada melhor do que assistir uma boa comédia neste Natal. Ainda mais quando ela é despretensiosa e conta com um time maravilhoso como é o caso de Trocando as Bolas (Trading Places, 1983). A começar pelo diretor, John Landis, bem como dois astros em ascensão do humorístico ‘Saturday Night Live’: Dan Aykroyd e Eddie Murphy.

A saber, Aykroyd e Landis trabalharam juntos anteriormente em Os Irmãos Cara de Pau (The Blues Brothers, 1980) e Murphy praticamente debutava nos cinemas. Ele só tinha feito um filme, 48 Horas (48 Hrs., 1982), como coadjuvante no longa policial com toques de humor. Mas foi realmente em Trocando as Bolas que ele pode, finalmente, mostrar sua veia humorística e despontar rumo ao estrelato.

Sinopse

Billy Ray Valentine (Eddie Murphy) é um vagabundo que vive nas ruas e sobrevive aplicando pequenos golpes. Sua vida muda ao literalmente trombar com o corretor da Duke & Duke, Louis Winthorpe III (Dan Aykroyd). Acusado, a princípio, de roubo, Billy Ray acaba preso.

Ao presenciarem o acontecido, os Irmãos Duke, donos da corretora fazem uma aposta. Randolph Duke (Ralph Bellamy) aposta 1 US$ contra Mortimer Duke (Don Ameche) para provar que, dando a oportunidade para um e tirando a oportunidade do outro, é capaz de transformar as vidas de Winthorpe e Billy Ray. Ou seja, o corretor se tornará um golpista, enquanto o golpista se tornará um corretor.

Trocando as Bolas

A inversão de papéis permite que tanto Murphy quanto Aykroyd esbanjem seus respectivos talentos e, assim, destilem um arsenal de piadas e momentos divertidíssimos. O agora vagabundo Winthorpe, ainda contará com a ajuda da prostituta Ophelia (Jamie Lee Curtis) para se vingar daquele que acredita ter roubado sua vida: Billy Ray.

Murphy, ali, já dava sinais de que seria um dos maiores humoristas de sua geração. Tanto na versão vagabundo, quanto na versão almofadinha, ele toma conta do filme com excelentes piadas, bem como com tiradas espetaculares.

O Feitiço Virando Contra o Feiticeiro

Se, a princípio, as brigas entre Winthorpe e Billy Ray garantem momentos hilariantes, a situação melhora quando eles descobrem o plano dos Dukes e, assim, unem suas forças para se vingarem dos irmãos. O plano? Aplicar um golpe na Bolsa de Valores e deixá-los mais pobres que Billy Ray Valentine.

John Landis

O grande responsável por essa comédia deliciosa é John Landis. Uma pena que um diretor do seu nível tenha caído no esquecimento. Poucos diretores tenham um currículo tão rico quanto o seu início de carreira. Nesse ínterim, ele dirigiu grandes clássicos como Clube dos Cafajestes (Animal House, 1979), Os Irmãos Cara de Pau (1980), além de Um Lobisomem Americano em Londres (An American Werewolf in London, 1981).

Em 1983, teve um ano bem produtivo lançando Trocando as Bolas, bem como o clipe Thriller, de Michael Jackson (que, a saber, revolucionou a história dos clipes musicais), além de um dos contos de No Limite da Realidade (Twilight Zone: The Movie). Por fim, é dele também Um Príncipe em Nova York (Coming to America, 1988), que ganhará uma aguardada continuação na Amazon Prime Video em março de 2021.

Por fim, não custa lembrar que Trocando as Bolas se passa no período de Natal e Ano Novo. E mesmo que não seja considerado pela crítica como um dos melhores filmes desta época do ano, pode apostar. Trocando as Bolas é um filme que trará muito mais leveza para as festas de fim de ano que, infelizmente, serão marcadas em 2020 pela pandemia da covid-19.

Ficha técnica

Título original: Trading Places
Direção: John Landis
Roteiro: Timothy Harris, Herschel Weingrod
Elenco: Dan Aykroyd, Eddie Murphy, Jamie Lee Curtis, Ralph Bellamy, Don Ameche, Denholm Elliott, Paul Gleason
Distribuição: Paramount Pictures
Data de estreia: 8 de junho de 1983
País: Estados Unidos
Gênero: comédia
Ano de produção: 1983
Duração: 116 minutos
Classificação: livre
Onde assistir: Microsoft on demand

9.0
saldo total
Créditos Galáticos: 9
Have no any user vote
Uma das melhores comédias natalinas de todos os tempos
TAGS
Compartilhe


Leia também