Jururú tá Feliz Paxuá e Paramim Carlinhos Brown

Foto: Divulgação

Animação infantil de Carlinhos Brown completa 10 anos e ganha novo clipe

Wilson Spiler

|

5 de julho de 2022

Ninguém resiste ao samba, ainda que seja vilão. O clipe inédito “Jururú tá Feliz”, lançado nesta terça-feira (5) no YouTube do projeto infantil Paxuá e Paramim, é mais uma prova desse lema. Criado por Carlinhos Brown em parceria com Andrea Mota, até o antagonista da história, o simpático Jururú, cai na cadência do samba, muda de recado e aprende a cuidar e a amar a natureza. Ao lado dos personagens Paxuá e Paramim, Braúna (Carlinhos Brown), Lim, Mão e Pajeum, o vilão mais gente fina da floresta samba no pé e na mão exaltando a felicidade.

“A turma de Paxuá e Paramim está completando 10 anos com o propósito de trazer felicidade e apresentar o conceito de educação ambiental para as crianças, para que elas cresçam aprendendo a cuidar do nosso planeta e da nossa terra. O clipe ‘Jururú ta Feliz’, assim como outras canções da animação infantil, pretende inserir as novas gerações nesse contexto, para que elas busquem correções e tenham conhecimento sobre as consequências que o extrativismo, a desproporção do consumo e abusos dos recursos naturais vem causando no nosso clima. O que Paxuá e Paramim nos ensinam é que, se rios pedem passagem é porque os caminhos sempre foram deles”, explica Carlinhos.

Leia também:

Religiosidade, política, corrupção e violência: Prettos ‘incendeia’ tudo em novo EP

‘Príncipe’ Paulinho da Viola está de volta ao Circo Voador

Alice apresenta voz suave e potente em releitura da canção ‘Águas de Março’ de Tom Jobim

10 anos de Paxuá e Paramim

Comemorando 10 anos em 2022, em agosto o projeto estreia seu primeiro musical infantil, com músicas compostas por Carlinhos Brown e a cantora Milla Franco. A ideia é levar os personagens da tela direto para os palcos e tendo Jururú como um dos destaques.

A animação infantil Paxuá e Paramim apresenta, de forma lúdica e educativa, personagens da cultura e do folclore brasileiro. Ao mesmo tempo, promove um resgate da identidade cultural de uma terra originalmente indígena. Habitantes da Floresta dos Encantados, Paxuá é filha da Encantada Iara, Mãe D’água. Através de um anel encantado, consegue controlar as águas, se comunicar com os animais marinhos e até mesmo respirar debaixo d’água. Por outro lado, Paramim é filho do Senhor dos Ventos, e usa o seu cocar mágico para controlar o ar, bem como se comunicar com as aves. Juntos, eles protegem a floresta.

Sobre Paxuá e Paramim

Da construção de cada personagem, ao desenvolvimento dos cenários, Carlinhos Brown deixa sua assinatura, com ilustração de Renato Barreto e músicas compostas em parceria com a cantora, compositora e arte-educadora Milla Franco.

O projeto tem cocriação e direção geral de Andrea Mota, sócia de Brown. O coral de alunos mirins da escola Pracatum, instituição fundada pelo artista no bairro do Candeal, em Salvador, dá voz à animação. As aventuras de Paxuá e Paramim têm trilha sonora também assinada por Brown, em parceria adicional de Deeplick e Thiago Pugas. Além disso, traz arranjos de cordas de Jaques Morelenbaum.

O desenho ainda conta com músicos que tocam violino, viola, violoncelo, piano, vibraphone, tuba e trombone, ganhando ritmo pelas mãos do próprio Brown, que fica à frente de instrumentos como block boca, bongô, conga, metal, shake, tumba, hood block, surdo com vassourinha, ganzá de moca, violões e teclado.

Aliás, está de olho em algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Por fim, não deixe também de acompanhar o UltraCast, o podcast do ULTRAVERSO:

https://app.orelo.cc/uA26
https://spoti.fi/3t8giu7

Ouça Jururú tá Feliz

Wilson Spiler

Will, para os íntimos, é jornalista, fotógrafo (ou ao menos pensa que é) e brinca na seara do marketing. Diz que toca guitarra, mas sabe mesmo é levar um Legião Urbana no violão. Gosta de filmes “cult”, mas não dispensa um bom blockbuster de super-heróis. Finge que não é nerd.. só finge… Resumindo: um charlatão.
Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme