O Céu Está em Todo Lugar the sky is everywhere 2022 crítica do filme Apple TV Plus onde assistir elenco

Foto: Apple TV Plus / Divulgação

‘O Céu Está em Todo Lugar’ nos traz uma jornada pelo luto

Bruno Oliveira

|

19 de maio de 2022

O Céu Está em Todo Lugar (The Sky Is Everywhere) é um novo filme da produtora A24 que chegou recentemente na Apple TV Plus. Frisei o nome da produtora porque, na minha singela opinião, ela só tem feito obras que saem um pouco da caixinha convencional.

O alvo dessa resenha não chega a ter um grande impacto como ou outros longas produziram em mim, mas certamente tem o seu charme. Ele é baseado no best-seller escrito por Jandy Nelson, que não por acaso também escreve o roteiro aqui. Apesar de ser voltado para um público mais adolescente, o filme tem o que falar e o que pensar.

Leia também:

‘Avatar: O Caminho da Água’ – Trailer e novo Pôster

‘Toscana’ é um romance pés no chão

“Vibra Open Air” – Maior cinema a céu aberto está em SP

A trama

Lennie Walker (Grace Kaufman), é uma adolescente de 17 anos que vive com sua vó e seu tio em uma casa rodeada por incríveis árvores e por uma incrível plantação de rosas gigantes. Ela, um grande prodígio da música, vê o seu encanto pela vida murchar após a morte de sua irmã mais velha da qual amava mais do que tudo.

A sua vida começa a ter uma nova cor quando conhece Joe (Jacques Colimon), que, aos poucos, a ensina novamente os pequenos prazeres da vida. Isso seria perfeito se ela não nutrisse uma conexão com o namorado de sua irmã, Toby (Pico Alexander), que os une devido ao luto em comum.

Jornada pelo luto

Essa premissa transforma O Céu Está em Todo Lugar em apenas uma nova história sobre problemas adolescentes mas, para mim, foi muito mais do que isso. O grande tema do filme versa sobre o luto. Temos uma grande jornada com nossa protagonista por momentos crucificantes desse sentimento. Quem já passou ou está passando por isso vai se identificar de uma forma que é cruel e consoladora ao mesmo tempo.

A linda frase “luto e amor, um não vive sem o outro” sintetiza todo o cerne da história que acompanhamos aqui. E é exatamente isso: como superar essa dor que vem direto do peito? Parece que vamos sofrer disso durante toda a nossa vida adulta. Apenas vamos aprender a lidar com ele em nossas vidas. Isso pode parecer egoísta com quem se foi, mas se torna honesto para quem ainda tem a vida inteira pela frente. Ainda mais se falarmos de uma pessoa que tem todas as possibilidades de ser um gênio no que se propõe a fazer.

Metáfora

O fato de nossa protagonista ser uma amante da música e uma ótima musicista se torna uma grande metáfora para essa história principal. Sua tristeza a faz perder a música. Nesse caso, realmente de forma literal. Ela não consegue mais tocar por achar que isso não faz mais sentido em sua vida. É nesse momento em que a jovem é abraçada pela tristeza e a única pessoa que pode entendê-la é o namorado de sua irmã, pois está passando pelas mesmas dores. Unidos por uma tragédia em comum, eles se conectam de uma forma inesperada e culposa.

Joe entra para tirá-la desse buraco de dor e sofrimento, como uma luz necessária, como um sinal de que as coisas podem melhorar. O contraste nesse momento o transforma em algo realmente incrível. De um lado colorido, deixando a imaginação transbordar até o limite; enquanto do outro lado temos quase que a escuridão junto com momentos penosos e pesados. Essa parte, aparentemente é ruim, acaba não sendo, pois faz parte do processo que vai fazê-la viver mesmo com uma dor enorme no peito.

Conclusão

A diretora Josephine Becker faz um ótimo trabalho em O Céu Está em Todo Lugar. Com ótimos movimentos de câmera e uma boa criatividade de como criar a felicidade de um modo bem abstrato. Ainda trata-se de uma obra voltada para o público adolescente, mas vai falar principalmente com quem entende esse sentimento que é cruel, mas necessário.

Não é um filme perfeito por achar que nos momentos em que deveria entregar, não entrega, e por ter uma certa barriga ali pelo meio. Mas isso são detalhes de uma obra que me tocou bastante e que me fez entender mais o luto.

Onde assistir ao filme O Céu Está em Todo Lugar?

A saber, O Céu Está em Todo Lugar se encontra disponível no catálogo para todos os assinantes da Apple TV Plus.

Aliás, está de olho em algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Por fim, não deixe de acompanhar o UltraCast, o podcast do Ultraverso:

https://app.orelo.cc/uA26

https://spoti.fi/3t8giu7

Trailer do filme O Céu Está em Todo Lugar, da Apple TV Plus

O Céu Está em Todo Lugar (Apple TV Plus): elenco do filme

Grace Kaufman
Jacques Colimon
Cherry Jones
Jason Segel
Pico Alexander
Havana Rose Liu

Ficha Técnica (O Céu Está em Todo Lugar, Apple TV Plus)

Título original: The Sky Is Everywhere
Direção: Josephine Decker
Roteiro: Jandy Nelson
Duração: 103 minutos
País: Estado Unidos
Gênero: drama e romance
Ano: 2022
Classificação: 14 anos

Bruno Oliveira

4

Créditos Galáticos: 4

Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme