Orgulho e Sedução Fire Island 2022 crítica do filme Star Plus onde assistir elenco ficha técnica Ultraverso

Foto: Star Plus / Divulgação

‘Orgulho e Sedução’ traz uma releitura queer do clássico de Jane Austen

Matheus Soares

|

7 de junho de 2022

Orgulho e Preconceito é, certamente, um dos livros mais conhecidos de Jane Austen. Por sinal, já até rendeu filmes (1940 e 2005) e minissérie (1995), assim como uma versão com zumbis em 2016. Contudo, dessa vez, temos uma releitura mais moderna e queer. Estreou recentemente no Star Plus o filme Orgulho e Sedução (Fire Island), uma comédia romântica que garante prender o espectador por um bom tempo.

O novo longa traz como protagonista Noah (Joel Kim Booster), que é um homem gay, solteiro e feliz. Mesmo pobre e com dívidas, ele consegue se divertir, junto dos seus amigos. Uma dessas aventuras o leva ele até “Fire Island”, uma espécie de “Disney Gay” (como dito no próprio filme). Além disso, nessa ilha, ele tem a missão de fazer com que seu melhor amigo Howie (Bowen Yang) acabe fazendo sexo para que crie mais coragem consigo mesmo. Em meio a uma onda de diversidade, críticas (até mesmo contra xenofobia, afinal, os protagonistas têm traços asiáticos), temos uma obra divertida, se transformando em uma ótima releitura.

Leia também:

‘Tarsilinha’ é colorido, alegre e com ritmo brasileiro

‘Interceptor’ pode até entreter, mas é esquecível

‘Meu Psicólogo Imaginário’ aborda temas sensíveis de forma surpreendente

Vale a pena?

A priori, Orgulho e Sedução parece (e é) um filme direcionado a um público específico. Contudo, ele diverte e traz discussões que podem extrapolar a bolha LGBTQIA+. Afinal, o longa debate questões como amor, monogamia, entre outras de suma importância.

Os protagonistas Noah e Howie têm uma boa química como amigos. Embora, sinceramente, tenha assistido ao longa esperando que ficassem juntos, felizmente – ou infelizmente -, isso não aconteceu e ambos tiveram finais inesperados, mas felizes. Contudo, o enredo envolvendo Dex é bem meia-boca e sem propósito.

O que faz Orgulho e Sedução perder pontos importantes é o seu desfecho. Isso porque, mesmo sendo dinâmico e engraçado, os momentos finais são arrastados e difíceis de assistir. Apesar disso, é um filme que cumpre o que promete, e uma releitura bem moderna do clássico de Austen.

Onde assistir ao filme Orgulho e Sedução?

A saber, Orgulho e Sedução está disponível para assinantes do Star PlusAliás, está de olho em algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa.

Por fim, não deixe também de acompanhar o UltraCast, o podcast do ULTRAVERSO:

https://app.orelo.cc/uA26
https://spoti.fi/3t8giu7

Trailer de Orgulho e Sedução, do Star Plus

Orgulho e Sedução (Star Plus): elenco do filme

Joel Kim Booster
Bowen Yang
Conrad Ricamora
Margaret Cho
James Scully

Ficha Técnica: Orgulho e Sedução, do Star Plus

Título original: Fire Island
Direção: Andrew Ahn
Roteiro: Joel Kim Booster
Duração: 94 minutos
País: Estados Unidos
Gênero: comédia, drama e romance
Ano: 2022
Classificação: 18 anos

Matheus Soares

Math, para os chegados, historiador e escritor (pelo menos tenta). Quadrinhos, livros e filmes são sua paixão, mas passa longe de ser "cult" ou "cinéfilo". Todos saúdem a Matrix!
3

Créditos Galáticos: 3

Livros e Quadrinhos ‘Operação Obscura’ ‘Coração Marcado’ ‘Lua de Mel com a Minha Mãe’ ‘Bubble’ ‘Rumspringa’ SEC AWARDS 2022 A Megera Domada – Crítica do Filme