‘Os Novos Mutantes’ e os velhos problemas de sempre

‘Os Novos Mutantes’ e os velhos problemas de sempre

Antes de mais nada, Os Novos Mutantes (The New Mutants), em cartaz nos cinemas brasileiros é fruto de diversos problemas. Foram, a saber, três adiamentos do seu lançamento, bem como outros assuntos que fizeram a produção mudar de rumo: a venda da 20th Century Fox para a Disney e a pandemia do coronavirus.

Além disso, o filme teve algumas refilmagens, que não foram suficientes para salvar praticamente nada deste triste capítulo do universo X-Men.

Sinopse

Quatro adolescentes: Rahne Sinclair (Maisie Williams), Illyana Rasputin (Anya Taylor-Joy), Sam Guthrie (Charlie Heaton) e Roberto da Costa (Henry Zaga) são jovens mutantes que vivem trancafiados em uma instituição psiquiátrica chefiada pela Dra. Reyes (Alice Braga).

A princípio, eles estão lá para aprenderem a lidar com seus poderes e, assim, não causar nenhum mal aos humanos comuns. A chegada de outra jovem, Dani Moonstar (Blu Hunt) vai mexer com os relacionamentos do grupo, bem como, descobrir o que há por trás desse hospital.

Os Novos Mutantes crítica filme

Muitos problemas

Por causa da série de tudo o que houve antes do lançamento nos cinemas, já era de se esperar que Os Novos Mutantes tivesse alguns problemas. Mas o que vemos na tela supera negativamente todas as nossas expectativas. Ou seja, os problemas, na verdade, são problemões.

O principal deles é a ausência de roteiro. Não existe absolutamente nenhuma história nos 90 minutos do filme. O fiapo da trama fica concentrado relacionamento dos cinco jovens entre si, bem como deles com a doutora.

Além do roteiro, existem outras falhas gravíssimas. O filme é mal editado, apressado, incapaz de desenvolver qualquer um dos poucos personagens em cena e tem um pecado que é imperdoável: é simplesmente impossível como espectador se conectar com qualquer um deles em cena.

Nenhum deles te causa empatia ou até repulsa para odiá-los. Você simplesmente tolera as seis pessoas que estão ali tentando te entreter de alguma forma.

Os Novos Mutantes filme crítica

Falta de identidade

A saber, Os Novos Mutantes foi vendido como um filme de terror. E ele não é absolutamente nada disso. Aliás, ele não é um drama, tão pouco uma aventura ou suspense ou qualquer outro gênero existente no cinema.

Pelo número de atores em cena e por se passar praticamente em um lugar, ele acaba lembrando vagamente ‘O Clube dos Cinco’ (The Breakfest Club, 1985), mas sem ser digno de maior comparação com essa, que é uma das obras-primas do saudoso diretor John Hughes.

Rostos conhecidos

Talvez a única vantagem de Os Novos Mutantes é reconhecer alguns atores que são familiares por participarem de produções de sucesso, como Maisie Williams (Game of Thrones), Anya Taylor-Joy (A Bruxa, Fragmentado e O Gambito da Rainha) e Charlie Heaton (Stranger Things).

Além de, obviamente, Alice Braga, brasileira, sobrinha de Sônia Braga, que, antes de mais nada, despontou para o mundo em ‘Cidade de Deus’, em 2002.

Os Novos Mutantes crítica

Ademais, outro acerto da produção é na duração do filme: apenas 90 minutos. Ou seja, poderia ser muito pior. Por fim, não se precipite em assistir Os Novos Mutantes no cinema. Não vale arriscar a sua saúde por tão pouco.

É bem provável que ele saia em home vídeo muito em breve e, assim, você perderá apenas o seu tempo e não gastará mais nada com o filme. Acredite. De fato, vai sair muito mais em conta.

TRAILER

YouTube video

FICHA TÉCNICA

Título original: The New Mutants
Data de estreia: 22 de outubro de 2020
Direção: Josh Boone
Roteiro: Josh Boone, Knate Lee
Elenco: Maisie Williams, Anya Taylor-Joy, Charlie Heaton, Alice Braga, Blu Hunt, Henry Zaga
Distribuição: 20th Century Studios
País: Estados Unidos
Gênero: fantasia, ação, horror
Ano de produção: 2020
Duração: 94 minutos
Classificação: 14 anos

4.5
saldo total
Créditos Galáticos: 3
1 user vote x 6.0
O filme parece um trabalho mal feito de conclusão de curso de faculdade de cinema.
TAGS
Compartilhe


Leia também