‘Trolls 2’ é uma dançante celebração sobre diversidade e diferenças

‘Trolls 2’ é uma dançante celebração sobre diversidade e diferenças

Nesta continuação das aventuras de Poppy (Anna Kendrick) e Branch (Justin Timberlake), que vivem no Reino Pop, os jovens Trolls do Pop recebem o convite da Rainha Barb (Rachel Bloom), a rainha do Rock, sobre a nova “Turnê Mundial: Uma Nação do Rock”. Assim, o filme Trolls 2 (Trolls World Tour) acompanha a descoberta de Poppy e Branch sobre outros gêneros musicais além do pop: Rock, Country, Música Clássica, Funk e Techno. Poppy acredita que quanto mais Trolls melhor, então parte para conhecer a Rainha Barb.

É quando surge o principal conflito da narrativa: a nação Rock quer dominar o mundo e transformar todos em Trolls do Rock. Deste modo, inicia-se o debate sobre as diferenças e a necessidade de tolerância. A rainha Poppy, em uma jornada de herói, pretende salvar todas as nações, para que todos possam viver juntos e felizes, celebrando com a música que gostarem e se identificarem.

A qualidade técnica de Trolls permanece, sendo impossível não se encantar com o trabalho de texturas e cores da nova produção da DreamWorks, que segue sendo dirigida também por Walt Dohrn.

Trolls 2 World Tour crítica filme

Diversidade

Trazendo um discurso sobre diferenças e diversidade para um público infantil, Trolls 2 alcança seu objetivo. Apresentando os diversos estilos musicais, aproveita para apresentar também e celebrar clássicos do pop, algumas músicas icônicas dos anos 80 e 90, como os hits “Gils Just Wanna Have Fun”, de Cindy Lauper, e “Groove is in the Heart”, do grupo Deee-Lite.

No início da narrativa, o Rock é apresentado para o público como o antagonista da trama. Nos parece a repetição do estereótipo sobre o estilo musical em questão, associando o gênero “trevoso” do rock a elementos negativos, grosseiros e brutos.

Com o decorrer da narrativa, entendemos que não é bem assim, o Pop também tem seus preconceitos, assim como o country e outros estilos. O preconceito com os diferentes gostos musicais é tratado de forma natural, com uma linguagem simples, mas não tão obvia.

As piadas presentes no filme são até bobinhas, que no timing certo, deixam a produção mais leve e divertida. Repetindo um pouco do que foi responsável pelo sucesso de “Meu Malvado Favorito”, com a ingenuidade e simplicidade dos minions, mas de forma mais infantil.

  • Aliás, vai comprar algo na Amazon? Então apoie o ULTRAVERSO comprando pelo nosso link: https://amzn.to/3mj4gJa
YouTube video

Grandes astros da música em ‘Trolls 2’

A participação de Justin Timberlake é enriquecedora para o filme, uma vez que, o mesmo já percorreu diversos estilos. Conhecido pelo pop, o cantor tem produções que percorrem do funk ao country, como em seu último álbum, Man Of The Woods, que traz as raízes do cantor nascido no Tenesse, Estado nos EUA com forte influência e produção no Country.

Além de Justin, Trolls 2 também tem participação de Mary J Blige dublando na versão original a Rainha Essence, famosa cantora e compositora de R&B e Soul, responsável pelo hit “Family Affair”. Para completar o reinado do Funk, ao lado da Rainha Essence, temos ninguém menos que George Clinton, um dos inovadores do Funk.

Quando pensamos no rock mais pesado, o Heavy Metal, é impossível não lembrar do icônico Ozzy Osbourne. Em Trolls 2, o astro dubla o pai de Barb, o Rei do Rock.

Percorrendo pelos gêneros musicais abordados no filme, temos o Country, um dos estilos mais fortes na cultura estadunidense. Mesmo sendo uma artista também pop, Kelly Clarkson é um dos nomes fortes do country, combinando bem com a personagem que dubla, a rainha do Country, rainha Delta D.

Trolls 2 crítica Trolls World Tour filme

A música nasce de dentro da gente

Com uma metáfora, chegando quase ao sentido literal, a lição de Trolls 2 é mostrar que todos podemos viver bem com pessoas diferentes, que na verdade, essa diversidade enriquece nossa sociedade.

No final do filme, tudo se resolve com a música que surge do coração, as batidas que vem de dentro de cada um. Romantizando a criação da música, algo que alimenta a alma, traz diversão, e é praticamente intrínseco a natureza humana.

‘Trolls 2’: Adulto pode ver?

A sequência de Trolls se supera em qualidade de produção musical em relação ao primeiro filme, e mantém a qualidade da narrativa. O filme é bem divertido e gostoso de assistir, principalmente se você for sem pretensão, buscando apenas um entretenimento e uma fofa lição de moral.

Com incríveis mashups, o Trolls 2 se torna bastante dançante. As músicas têm a função de tornar divertido, sem comprometimento com a narrativa, sendo notória a intenção da produção da animação, apresentar os diversos gêneros para o público. Afinal, o filme é direcionado a crianças, não impedindo que adultos, amantes de animação e de musicais, vejam. Vale a pena ver, e se tiver crianças em casa, é o filme perfeito.

TRAILER

YouTube video

FICHA TÉCNICA

Título original do filme: Trolls World Tour
Direção: Walt Dohrn, David P. Smith
Roteiro: Jonathan Aibel, Glenn Berger, Bob Dolman, Trevor Munson, Lisa Krueger, Rick Yancey
Elenco: Anna Kendrick, Justin Timberlake
Onde assistir ‘Trolls 2’: YouTube e Google Play
Data de estreia: qui, 03/12/20
País: Estados Unidos
Gênero: animação
Ano de produção: 2020
Duração: 90 minutos
Classificação: livre

8.2
saldo total
Créditos Galáticos: 7
4 user votes x 8.5
Se superou
TAGS
Compartilhe


Leia também