‘Força da Natureza’ é diversão rápida e rasteira

‘Força da Natureza’ é diversão rápida e rasteira

Em Força da Natureza (Force of Nature), durante um furação que varre Porto Rico, um policial que luta contra o trauma de uma tragédia é destacado a contra-gosto, juntamente com uma parceira novata na unidade, para recolher pessoas e encaminhá-las para os abrigos contra o furacão.

Paralelo a isso, um bando violento e sanguinário se movimenta para roubar um tesouro nazista em obras de arte.

E essas duas frentes irão se encontrar em um velho prédio de apartamentos com alguns moradores incomuns, entre eles um velho policial aposentado, doente mais ainda mantendo o perfil casca-grossa.

Não é um ‘filme do Mel Gibson’

E é isso. Com esse roteiro clichê até a medula, temos em Força da Natureza um filme de ação que talvez não se classifique como um filme B apenas por conta de seu elenco levemente estelar.

A começar por ser vendido como um “filme do Mel Gibson”, que, na verdade, faz uma participação especial – onde ele realmente rouba as cenas em que participa, mas ainda assim não é o protagonista. Além de outros nomes como Emile Hirsch (esse sim o protagonista) e Kate Bosworth.

Clichês e erros de continuidade

Aliás, como todo filme clichê, o roteiro traz uma série de inconsistências que incomodam se pensarmos um pouco.

Numa sequência, parte do grupo dos “mocinhos” entra no apartamento de um outro ex-policial que é um verdadeiro arsenal. Simplesmente deixam a porta aberta e obviamente acabam sendo surpreendidos.

Foto: Lionsgate / Divulgação

Conseguem se safar, mas, ao invés de saírem armados até os dentes, saem da mesma forma que entraram e acabam sendo surpreendidos novamente.

Em outro momento, o policial leva um tiro que atravessa a perna, “sem causar maiores danos” e só lembra de mancar às vezes. Além disso, um outro morador cria em seu apartamento – num quarto com porta reforçada por várias trancas – algum tipo de animal selvagem, treinado para odiar policiais.

Pelo som que o bicho emite, pode ser qualquer coisa – de um felino até o Cérbero. É previsível que ele irá desempenhar algum papel até o final da história, o que de fato acontece, ainda que apareça tão rapidamente e de relance, que continuamos sem saber o que era.

Mas e o furação? Veio e foi embora. Só serviu para gerar a ideia de urgência e isolamento. Fisicamente (se é que se pode dizer assim) na história só fez chover bastante, não agregando mais nada no desenrolar do filme. Mais ou menos como a participação do Mel Gibson.

Diversão rasteira

Enfim, Força da Natureza é mais um daqueles filmes de ação que é ideal para ser assistido em um momento de ócio, com o cérebro desligado.

Ao menos o longa se respeita e não tenta parecer o que não é (tirando o fato que TENTA parecer um filme do Mel Gibson 😛 ), e passa rápido, sem prolongamento desnecessário. Para uma diversão rápida e rasteira, tá valendo.

TRAILER

FICHA TÉCNICA

Título original: Force of Nature
Direção: Michael Polish
Elenco: Emile Hirsch, Kate Bosworth, Mel Gibson, David Zayas, Stephanie Cayo, Will Catlett, Swen Temmel, Tyler Jon Olson, Jorge Luis Ramos
Distribuição: Lionsgate
Data de estreia: ter, 30/06/20
País: Estados Unidos
Gênero: ação, drama
Ano de produção: 2020
Duração: 91 minutos
Classificação: 18 anos

6.7
Créditos Galáticos
Créditos Galáticos: 6
2 user votes x 7.0
Não é um filme do Mel Gibson
TAGS
Compartilhe